Artigos
19 de Maio, 2023

EN 388. Saiba tudo sobre a sua actualização.

Nova resistência ao Corte, TDM EN ISO 13997

Em 2017 entrou em vigor a decisão do então Ministério do Trabalho que os ensaios para a emissão e renovação do Certificado de Aprovação (CA) deveriam ser realizados de acordo com as normas europeias.
Essa norma é a EN388:2016. Apesar das novas exigências, os CAs já emitidos de acordo com a norma anterior continuariam válidos até expirarem. Nesta ocasião, para renovar o certificado seria necessário realizar os novos testes.

Afinal, o que é a EN 388?

Que o EPI serve para garantir a segurança do trabalhador no caso de um acidente, todos sabem.
Mas como determinar a qualidade de um EPI? Por outras palavras, como garantir que ele realmente irá proteger o indivíduo? É aqui que entram os ensaios de controle de qualidade. Neles, as luvas de segurança são testadas em ambientes e condições controladas a fim de entender seus limites e conferir seu grau de proteção. Existem diversos ensaios para verificar a real resistência do EPI.
Para as luvas de proteção, os parâmetros analisados são resistência à abrasão, rasgo, perfuração, corte e impacto.
Neste texto, falaremos do padrão anteriormente usado, que é o Coup Test, e o aplicado hoje em dia, chamado de TDM/ ISO 13997. Ambos são utilizados para determinar a resistência a corte.

Como funciona o Coup Test?

É um teste de controle de qualidade que consiste numa lâmina circular rotativa que se move de frente para trás sobre a luva de segurança testada em pressão constante. Por meio de inúmeros ensaios e da comparação com um padrão (amostra de um tecido em algodão normatizado) é possível identificar o índice de resistência do EPI. Com esses dados é possível aferir o grau de proteção da luva de segurança. É importante deixar claro que esses testes são realizados em um ambiente muito controlado. Para aferir a real proteção da luva, a mesma também deve ser testada em condições reais. Além disso, este é um teste que está em vigor há mais de 20 anos e, como a maioria das tecnologias, tornou-se ultrapassado.

Porque foi revisto o Coup Test?

As tecnologias de segurança do trabalho passaram e passam todos os dias por revoluções. Novos e mais eficientes materiais entram na linha de produção diariamente. Com as luvas de proteção, não seria diferente. A introdução de fibra de vidro, fios de aço e até mesmo novas fibras naturais e sintéticas ultrapassaram a capacidade do Coup Test de aferir a sua resistência a corte com precisão. Isso dá-se especialmente por conta das próprias características do teste. Como a lâmina circular é utilizada constantemente, os novos materiais acabam por cegá-la. Desta forma, é provável que o teste ofereça um grau de proteção maior do que a realidade. Logo, colocando em risco a segurança do trabalhador em caso de acidente.

Conheça o teste TDM método ISO 13997.

O método ISO 13997 é feito por um equipamento chamado de TDM 100. Os princípios desse teste são similares, alterando somente algumas características a fim de melhorar a capacidade de medição. No teste TDM, a lâmina utilizada é pressionada contra a luva com pressão variável. E, essa lâmina é utilizada uma única vez, ou seja, ela não tem a hipótese de ficar cega e deturpar o resultado do ensaio.

Principais diferenças entre Coup Test e o TDM 100

Em baixo, separamos as principais diferenças que discutimos neste texto a respeito dos dois testes de qualidade das luvas de proteção.

Partilhe este artigo:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Veja também

Uso de EPIs: Entenda as penalidades para quem não cumpre
Artigos
23 de Março, 2023
Uso de EPIs: Entenda as penalidades para quem não cumpre